Algumas estrategias para lidar com pessoas difíceis implicadas em um projeto de TI.

Acredite, se você gestor de um projeto de TI ainda não teve a sorte (ou azar) de cruzar com alguém genioso, de difícil trato em um projeto de TI, não se preocupe, é só uma questão de tempo.

Isso implica dizer que você irá precisar de muita paciência e estratégia para conseguir lidar com esse tipo de pessoa de maneira amistosa (pelo bem do projeto!) apesar dos possíveis obstáculos.

Te propomos que dê uma olhada nessas dicas básicas de sobrevivência a pessoas difíceis implicadas em um projeto de TI, façam o que fizerem e aproveitar a conjuntura para dar a volta por cima em benefício do projeto.

Mas antes, um aviso muito importante: não destrua pontes! Independente do gênio difícil de seus interlocutores, lembre-se que todas as pessoas que colaboram no projeto desejam que o projeto vá bem e alcance seu objetivo.

No entanto, muitas vezes a guerra de egos pode vir a perder tudo, se em um dia lhe oferecem apoio incondicional, no seguinte poderão criar um verdadeiro pandemônio porque o andamento dos trabalhos não está sendo feito exatamente como eles querem, etc.

E não quer dizer que tenham mudado de objetivos, ainda querem o êxito do projeto, apenas por questões profissionais ou de caráter (ou as duas juntas) partem para o enfrentamento.

Não tome essa atitude como algo pessoal e recorde que negócios são apenas negócios, relação profissional à parte. Aconteça o que acontecer (obviamente não estamos nos referindo a casos extremos, com vias de fato, por exemplo), não queime pontes e se desfaça dessas pessoas só porque parece que estão dificultando o avanço do trabalho.

É preciso em um primeiro momento encontrar maneiras para trabalhar com eles (ou apesar deles) para desbloquear a situação.

Agora que já temos essa ideia bem clara, vamos nos centrar nas dicas (que podem salvar sua equipe).

4 Estratégias para tratar com pessoas difíceis

Identifique-as e observe-as atentamente.

Deve ser feito de maneira contínua, como dito antes, se em um primeiro momento ele(a) é um defensor ativo em outro pode se converter em uma pedra no sapato, um(a) opositor(a) ferrenho(a) da noite pro dia.

Mas se você estiver atento(a) aos sinais, seus comentários sobre as últimas revisões de estado, por exemplo, você não terá surpresas e terá tempo de formular possíveis estratégias para minimizar a influência dessa personalidade turbulenta ante a equipe e o projeto.

Por isso é muito importante garantir que todos os canais de comunicação se mantenham sempre abertos para evitar possíveis negatividades.

Escute atentamente o que lhe dizem.

Trate de ficar atento(a) de onde procedem os comentários negativos e use de empatia para analisar esse ponto de vista, isso mesmo, se coloque no lugar da pessoa. Dessa maneira talvez você consiga entender suas motivações e objetivos e quem sabe até mesmo, aderir à lógica dele ou dela (se realmente vier a acrescentar ao projeto).

Faça um esforço consciente para compreender o ponto de vista e pergunte a si mesmo: Até que ponto a opinião contrária prejudica o projeto? Será que talvez esse outro modo de realizar o projeto não trará benefícios? Entre outras questões… A ideia é tratar de encontrar um ponto de encontro.

Reúna-se com os “rebeldes” um a um.

Procure se reunir ou quando possível conversar com esses “rebeldes” individualmente.

Dessa maneira essas pessoas não se sentirão acuadas ante os outros envolvidos no projeto; é importante evitar o confronto, evite perguntar de maneira brusca o motivo pelo qual eles se opõe  ao modo como o projeto foi planejado ou está sendo executado.

Dirija-lhes perguntas abertas sobre suas opiniões e o que pensam sobre o projeto, fase, etc, lembre-se trata-se de uma relação profissional, são negócios, não é pessoal.

Descubra suas preocupações e motivações.

Descobrir as motivações por trás da oposição é um grande trunfo. Estarão preocupados por que irá ultrapassar o orçamento? Estão preocupados com questões de ordem mais técnica ou de pessoal? Enfim, muitos podem ser os motivos e se você logra êxito em descobrir os motivos que norteiam essa atitude, tanto melhor, pois, talvez possa criar uma estratégia para que todos fiquem (dentro do possível) satisfeitos e continuem apesar das dificuldades.

Se você conseguir gerenciar as pessoas envolvidas em um projeto de mandeira eficaz, escutando-as e satisfazendo suas necessidades, ao longo do transcurso de um projeto, poderá posteriormente se beneficiar da confiança que depositaram em você e em seus métodos.

E isso vale para todos, não só para aqueles que criam conflitos…

Alguma vez você já teve de lidar com pessoas difíceis em algum projeto? Como lidou com a situação? Se vier a encontrar o que fará? Pense nisso!