Dicas para fazer parcerias na TI: Porque nem só de competição é feito esse mercado!

Mais que ter muito contatos, a qualidade dos relacionamentos é fundamental para o êxito nos negócios e no mundo corporativo, seja entre integrantes da mesma empresa, seja com fornecedores, clientes, etc.

E não há uma receita ou fórmula única que funcione da mesma forma para todos na hora de construir bons relacionamentos/parcerias no mundo corporativo, mas uma boa base pode ser investir na estratégia ganha-ganha, em que todas as partes de algum modo se beneficiam de igual maneira.

O espírito colaborativo é essencial para construir confiança e solidez nas parcerias/relacionamentos; quer sejam profissionais, quer sejam de negócios.

E não é algo que se constrói do dia para a noite é algo que envolve comunicação, ética e no caso das empresas planejamento e comunicação eficiente.

Mas parcerias produtivas, valem todo o esforço e podem ser uma alternativa para os tempos de baixa!

É o que é realmente uma parceria de negócios mesmo?

Bem, uma parceria nada mais é do que a cooperação entre diferentes empresas que procuram obter uma relação que resultará em lucro e otimizará algumas funções.

Além disso, a parceria é uma forma é alavancar o nome da empresa e assim conseguir mostrar seus produtos de maneira mais competitiva no mercado.

Para tanto, procure indivíduos ou empresas que tenham pontos fortes, onde você possui fraquezas e vice-versa. Avalie qual o potencial e as condições disponíveis e de que forma exatamente cada um irá contribuir.

Busque parceiros que complementem o que você já oferece, uma empresa de vendas para representar os seus produtos ou uma empresa de terceirização de mão de obra que utilize sua tecnologia, só para citar alguns exemplos.

Pequenas empresas que hoje investem em recarga de cartuchos podem criar grandes parcerias com empresas que vendem equipamentos de informática ou de manutenção de impressoras, por exemplo.

Outra forma mais comum de parcerias com foco em resultados é através do chamado B2B, onde você oferece aos seus clientes um cupom de desconto para ser utilizado na empresa parceira e esta, por sua vez, atua fazendo propaganda do seu negócio.

Procure alternativas que gerem mais comodidades aos clientes e claro, mais lucro para ambas as empresas.

Primeiramente entenda o que você e sua empresa podem trazer para o relacionamento e para a parceria e com isso, aonde exatamente você precisará de ajuda do pretenso parceiro.

A maneira mais fácil de fazer isso é criar uma análise de SWOT (forças, fraquezas oportunidades e ameaças).

Se você for verdadeiramente honesto, será capaz de identificar as áreas onde você poderá ajudar o parceiro, bem como as áreas onde você pode precisar de ajuda.

Outro ponto importante é a bilateralidade de interesses: mesmo que você acredite que um pretenso parceiro possua qualidades atrativas para o seu negócio, deve-se avaliar a disponibilidade e principalmente o interesse da outra parte, caso contrário, nada feito.

As parcerias sempre envolvem algum risco de exposição a eventuais falhas e vulnerabilidades, bem como acertos do eventual parceiro. Por isso é importante que sua empresa esteja disposta a compartilhar conhecimento, dividir responsabilidades.

Uma boa alternativa para estabelecer uma parceria saudável e segura é estabelecer um período de experiência, estipular uma data para avaliação e possíveis ajustes.

Conheça mais algumas dicas para criar uma parceria de negócios de sucesso:

Tenham objetivos claros e consensuais

De suma importância que os acordos comerciais incluam uma declaração de intenções entre as partes envolvidas: quem realizará que atividade, prazos, responsabilidades, etc.

Elabore um plano de ação (mesmo que a parceria seja informal, não envolva contratos), descreva detalhadamente um cronograma de atividades.

Tudo expresso da forma mais clara e objetiva para o entendimento de todos, expondo uma visão das oportunidades disponíveis e o valor agregado para todas as partes.

Qualquer desequilíbrio pode comprometer seriamente a parceria.

Exerça liderança

O papel de líder é fundamental nas alianças de negócios, para garantir uma unidade de planejamento financeiro, estratégico e mediar conflitos quando esses ocorrem.

Cada um no seu quadrado

Para evitar sobrecarga, acumulação ou desvio de funções, os papéis de cada integrante devem estar bem definidos e devem ser avaliados periodicamente.

Não se trumbique, comunique-se

Falta de diálogo, falhas de comunicação e mal entendido, são riscos que colocam em xeque qualquer parceria.

Os gestores, líderes, devem gerenciar, acompanhando as discussões em todas as etapas do processo, corroborando que suas equipes estão dispostas a colaborar.

Os resultados devem ser medidos e comunicados de modo a buscar oportunidades de melhoria, reforçar a confiança e propor novos desafios. Trabalhar juntos para solucionar as dificuldades.

Respeite o “core business” do seu parceiro. Viva a diferença.

Cada empresa possui seu próprio DNA, diferenças de cultura e gestão, isso é fato.

Por isso, antes de levar a cabo uma parceria, analise bem esses aspectos e se não for possível adaptar-se e conciliar tais diferenças, não vale à pena investir nessa “sociedade”.

 Muita calma nessa hora: previna e evite conflitos.

Procure ouvir e medir o nível de satisfação do parceiro. Fique de olho em conflitos potenciais, metas e prazos críticos que podem comprometer a relação.

Evite atuar em desacordo com seu parceiro ou com atitudes que prejudiquem os propósitos dele. Se não for possível conciliar os interesses, fale francamente e proponha uma solução ou um ponto final à parceria, de forma ética e responsável.

Supere as expectativas

Mais que cumprir as obrigações do acordo, supere as expectativas do parceiro e vá um pouco mais além do que se comprometeu a fazer.

Isso fortalece a confiança em uma parceria e é uma forma de estimular ambas as partes a elevarem o nível.

Monitore e recompense os resultados

Avaliações regulares são o melhor indicador da relação e ajudam a evitar frustrações. Os envolvidos devem analisar o custo-benefício de forma consistente e com enfoque na melhora constante.

Os parâmetros de avaliação e indicadores de resultados devem ser estabelecidos, de preferência, quando se estabelece a colaboração.

E se a relação é próspera, que tal incluir alguma compensação extra para todos os envolvidos, em cada conquista? Afinal, quem não curte um reconhecimento?

É mais um fator pode ajudar a estreitar ainda mais os laços de confiança e motivação.

Por isso, especialmente aos pequenos e médios empresários de TI, fica a dica: analisem a possibilidade de parcerias, investiguem quais seriam as melhores empresas, criem estratégias de ação e apresentem suas propostas.

Muitas vezes as oportunidades estão mais próximas do que você imagina. Basta se preparar! Você já aderiu às parcerias no seu empreendimento? Compartilhe sua experiência com a gente!