Equipe turbinada: você já treinou seus colaboradores hoje?

Para que um empreendimento cresça, acompanhando o ritmo do mercado e conquistando os objetivos traçados pela gestão, é preciso realizar um aprimoramento constante dos processos internos e uma renovação do mercado explorado.

Sem contar o fato de que a cada dia os novos produtos e serviços desenvolvidos, os modelos mais modernos de atendimento ao consumidor e a automatização desses processos, requerem, necessariamente, uma mudança nas dinâmicas internas e tudo isso de modo rápido e recorrente.

Por essas e outras razões nunca foi tão necessário estar atualizando a equipe de colaboradores, segundo o pesquisador e consultor na área de treinamento Benito Milioni em entrevista à Catho: “Partindo do pressuposto de que tudo é descontínuo, a empresa deve fornecer treinamento contínuo a seus colaboradores, na mesma proporção em que deseja manter-se competitiva e alinhada com a ‘Era do Conhecimento’, que é aquela em que vivemos”, afirma.

E em um segundo plano, os benefícios financeiros para a própria organização, pois, o profissional bem treinado pode desenvolver maior velocidade na execução de suas atividades, além de exercê-las com mais qualidade, aumentando a produtividade e lucratividade da empresa.

Mas qual o momento ideal para iniciar um treinamento? Você deve estar se perguntando.

Como já deu para perceber o interessante é que os treinamentos sejam realizados continuamente, para que a equipe seja constantemente reciclada e se torne possível um acompanhamento das novas práticas do mercado.

Mas como bem sabemos, o querer na prática nem sempre é poder e nem sempre pode-se contar com capital suficiente para subsidiar essa tarefa, não há porque se desesperar: É possível realizar treinamentos de modo mais pontual; quando houver novos projetos, produtos ou novos procedimentos, principalmente no caso da automação de processos, é fundamental que sejam realizados treinamentos para que toda a equipe possa se adaptar às transformações.

Essa é uma medida básica e indispensável, já que é preciso garantir que bons profissionais mantenham a sua produtividade mesmo com as mudanças.

Deve-se, ter em mente durante a elaboração de um treinamento alguns pontos importantes como a sua finalidade, ou seja, qual será o seu objetivo, o público e o conteúdo a ser ministrado, quem será o responsável por transmitir esse conteúdo, que pode ser algum membro que seja capacitado, dentro da própria organização ou algum especialista convidado o cronograma, dividindo o assunto geral em disciplinas com cargas horárias específicas, essa é uma forma para melhorar a organização de ideias e facilitar o cumprimento de todos os tópicos a serem transmitidos.

Por fim e não menos importante definir um local, que pode variar de acordo com o número de pessoas a serem treinadas e a finalidade do treinamento. Por exemplo, caso a intenção seja mostrar algum tipo de software novo, nada melhor do que realizar esse treinamento na própria empresa, mostrando os novos processos.

Investir em treinamento, qualificação e capacitação da equipe de colaboradores nunca é uma perda de tempo e dinheiro, é na verdade um investimento na qualidade e na perpetuação da empresa, deixa os colaboradores mais motivados, melhora os níveis de produtividade, integra mais a equipe e adequa individualmente esse empregado à cultura da organização. Uma mão na roda! 😉

(fontes: catho entrevista, artia, administradores, gesta pessoas)