Dicas para melhorar a infraestrutura de TI da sua empresa em 2017.

Mesmo em meio à atual crise que estamos presenciando os investimentos em TI têm permanecido estáveis e acredita-se que no ano de 2017 (apesar dos pesares) o mercado brasileiro de TI retomará o crescimento, segundo a Gartner.

E basicamente, isso se dá pelo fato de que a tecnologia é essencialmente necessária para que a empresa consiga funcionar, ainda que represente em algum momento e de maneira equivocada, por falta e otimização e investimento nos recursos certos, o “vilão” das finanças.

E não há outro jeito, é imprescindível que a infraestrutura de TI seja mantida em um padrão de qualidade elevado.

Com isto, entende-se que frear investimentos em TI não é o caminho, mas, sim, reduzir custos com as medidas certas!

E eis aí talvez o principal desafio da TI atual que é fazer mais com menos, encontrar maneiras de realocar recursos e orçamento presentes nas despesas operacionais rotineiras para investi-los em ações que suportem melhor as metas de negócio da empresa.

A grande questão está em encontrar maneiras de otimizar a utilização de recursos e a performance, de baixar o nível de complexidade da infraestrutura e liberar recursos de TI para usá-los com foco nas prioridades do negócio.

Uma boa  infra de TI deve não só ter uma previsão clara de como os serviços de TI vão dar suporte aos processos de negócio, mas também, deve garantir que a infraestrutura presente cumpra as metas de disponibilidade e performance com eficiência de custos.

Acompanhe conosco estratégias para melhorar a infraestrutura de TI.

Revise seus custos operacionais e redirecione o que puder para a inovação

A economia para custear inovação, pode vir dos lugares mais inesperados, por exemplo, da economia com energia elétrica.

Só para você ter uma ideia, de acordo com algumas estimativas os gastos com energia e resfriamento representam até 45% dos custos de um datacenter, o que seria um ótimo ponto de partida na busca de redução de custos.

Se possível, reveja seus contratos de telefonia e comunicação de dados, pode ser uma opção promissora.

Procure planos de operadoras com o melhor custo-benefício, caso você já possua um plano empresa e pior; esteja naquela fase chata de fidelidade, a saída é negociar com sua operadora uma forma de diminuir seus gastos.

Reveja todos os custos do seu departamento e pergunte-se sobre o que pode e deve ser melhorado, renegociado.

Com a economia resultante, invista em inovação, como servidores virtualizados, appliances que permitirão racionalizar serviços como firewall e acesso à internet, ou até mesmo um colaborador para montar um Escritório de Gerenciamento de Projeto, também conhecido como Project Management Office (PMO), para auxiliá-lo no planejamento e execução das suas melhorias.

Reveja e encontre as desvantagens da sua infra atual

Para começar a compreender em quais partes é possível reduzir custos em sua TI, é preciso fazer um autoexame e identificar as demandas atuais.

Pare e responda sinceramente: sua infraestrutura está dando conta recado? Está compatível com as reais necessidades do negócio?

Às vezes, ela pode se tornar muito cara e ineficiente, não por falta de softwares bons (e que requerem licenças caras) ou máquinas modernas, mas sim devido a carência de um planejamento, estudo, utilização efetiva dos equipamentos e até mesmo de conhecimento de soluções mais eficazes e sob demanda, por exemplo.

O ideal é que tudo comece com o suporte de especialistas que consigam interpretar, junto a você, o panorama de sua empresa e se os recursos que ela tem estão devidamente ajustados.

Em seguida, a migração para um serviço mais adequado, que possa ser proposto por esta análise, feita de forma orientada e até mesmo automatizada, facilitando a transição de tecnologia, se for o caso.

Planeje melhor

Um bom planejamento é essencial para prevenir erros, definir estratégias para resolver incidentes que possam surgir inesperadamente e garantir que não irão ocorrer complicações maiores.

É no planejamento que reside o segredo para você justificar as suas ações, decisões de melhoria e até mesmo possíveis gastos.

Sem a estruturação que um planejamento exige, é muito mais difícil ter uma visão dos passos seguintes, tanto para poder justificar ações presentes que são pré-requisitos para ações futuras de melhoria e economia, como também para você argumentar por exemplo, aos seus gestores/diretores quando questionado sobre as atividades de TI.

Não esqueça da computação em nuvem para otimizar seus resultados

A computação em nuvem é indiscutivelmente essencial no cenário atual de TI.

Seus benefícios são claros: diminuição de custos com a infraestrutura de TI, versatilidade na disponibilização e retirada de produção e oportunidade de regular os recursos de acordo com as solicitações, entre outros.

Se você ainda não faz uso da tecnologia em nuvem, está na hora de pensar a respeito!

Aumente sua eficácia operacional apostando em parceiros terceirizados

Empresas terceirizadas podem oferecer serviços muitas vezes por um custo inferior, portanto, fique de olho em processos que podem ser mais eficientes em termos de custo quando terceirizados.

Além do mais, a terceirização pode ajudar a aliviar a carga de trabalho da equipe fixa, além de garantir que cada atividade será realizada por um profissional especializado.

No geral a economia potencial deste item perde apenas para os gastos com energia, na maioria dos casos. Mas leve em conta a qualidade e o resultado que essas parcerias trarão.

Em algumas situações manter a própria equipe evita transtornos e prejuízos futuros.

Fique atento(a) aos links para backup

Sejamos curtos e grossos, não confie em um único link de dados se sua operação puder ser interrompida caso ele caia.

Afinal, interrupções nos serviços de TI podem ter um impacto direto nos negócios, deixando os gestores descontentes com a infraestrutura de TI.

Se sua empresa é de varejo por exemplo e depende da comunicação com as lojas, eleve a importância dessa informação a quíntupla potência.

Tenha sempre um caminho de backup para as comunicações, seja através de um link secundário entre escritórios ou links DSL (Digital Subscriber Line, que utiliza linhas telefônicas já existentes).

Pra finalizar…

É claro que existem vários outros tópicos a explorar (e assim o faremos oportunamente), mas abordamos questões de planejamento, orçamento, complexidade, porque são praticamente onipresentes no cotidiano da gestão de TI.

Pronto(a) para colocar a mão na massa e começar a melhorar a gestão de infraestrutura de TI da sua empresa no ano novo? Tem outras dúvidas ou soluções sobre o assunto? Compartilhe seu comentário!