O melhor da TI é o profissional de TI. Como ganhar valor com a capacitação dos profissionais de TI?

Pense rápido: qual o melhor investimento para as organizações de Tecnologia da Informação? Softwares? Hardwares?

É bem verdade que ambos, mas há outro tão valioso quanto os dois primeiros e que faz literalmente a máquina girar; os profissionais de TI!

Por essas e outras razões é tão relevante ter uma equipe antenada, atualizada, capacitada, de modo que seu crescimento profissional vá paripassu ao desenvolvimento da empresa.

Além do mais conforme o negócio vai amadurecendo, o entorno se transforma e a maneira de trabalhar evolui, os profissionais passam a enfrentar novos desafios que colocam em jogo sua capacidade de manter-se como um elemento de valor dentro da organização, bem como de executar diversas estratégias que respondem à necessidade de readaptação constante que é o que mantém nos dias atuais a competitividade das empresas.

Para que os esforços dos “recursos humanos” estejam estrategicamente alinhados aos objetivos da empresa, deverão resolver as situações, mesmo que os desafios mudem da noite pro dia…

E só será possível estar a par de tais exigências com uma atualização constante, bem como, com o fortalecimento de suas competências, principalmente aquelas que tem relação com um denominador comum que não para de evoluir dentro do contexto da economia digital: as tecnologias da informação.

Com a evolução sustentável da tecnologia, torna-se relevante compreender a importância de receber a instrução necessária que permita lidar com os desafios, sendo neste caso a área de RH quem se encarrega de brindar com as ferramentas pertinentes  que permitirão aos profissionais a se desenvolver com maior facilidade e eficiência na realização de seus labores.

Sem dúvida alguma, tenha sua empresa uma área específica ou não, os responsáveis pelo RH dentro de uma organização de TI desempenham dentro do negócio um papel primordial na hora de atrair, reter e fidelizar talentos especializados em TI, porém seu maior valor é o desenho de um plano de capacitação alinhado as necessidades do posto, as quais serão satisfeitas se aportam o necessário para o êxito da estratégia empresarial.

Um correto planejamento das atualizações/capacitações marcará a diferença entre simples cursos de instrução e verdadeira implementação de um plano de ação estratégico que moldará o motor da organização.

Acompanhe 3 fundamentos para criar um bom modelo de capacitação em TI segundo Kirk Weisler, Chief Moralle Officer e conferencista reconhecido:

Análise prévia

O primeiro passo para responder  o quê, como e quando fazer cursos de capacitação é fazer uma análise tanto interna como externa, de qualidades, atributos, fortalezas, debilidades e possibilidades de melhora, de maneira que se possa apreciar panoricamente o status atual das necessidades do negócio, os conhecimentos que o talento humano domina e quais necessitaria para obter resultados mais eficientes, bem como, dos esforços da organização, nos quais está pondo mais ênfase.

Desta maneira se poderá traçar um plano de capacitação em TI que impulsione a produtividade da área, contemplando os requisitos da organização e posicionando-a como um ativo estratégico no cumprimento de metas pré estabelecidas.

Objetivos a médio e longo prazo

Depois de identificar as necessidades do negócio e dos profissionais em questão é momento de traçar os objetivos a médio e longo prazo em relação ao que se almeja com tal capacitação.

É importante ter em conta que ditas metas deverão ser alcançáveis e passiveis de medição para que o plano surta efeito, além do mais é preciso considerar que nenhum dos colaboradores inscritos no curso é igual ao outro, portanto, tem que ser muito criativo para projetar metas que todos possam contribuir ao mesmo tempo e deem à organização o que ela precisa.

Implementação do plano de capacitação

Tratando-se de capacitação em TI, se deve ter uma supervisão muito precisa sobre as ferramentas utilizadas e a instrução de seu manejo em futuros projetos e processos, de modo que ao trabalhar com informação exista o menor risco possível e em nenhum momento torne vulnerável a segurança do negócio.

Durante esta etapa é importante moldar da melhor maneira os profissionais para que adotem as mudanças, tanto culturais, como de manejo técnico das ferramentas informáticas, assim como fomentar a comunicação interna e o trabalho em colaboração com outras áreas.

Controle

Esta última fase se leva a cabo em duas ocasiões: enquanto se realiza a capacitação e quando tiver sido concluído. Tais esforços graduais servem para monitorar o funcionamento dos cursos, se eles realmente estão valendo a pena, o desempenho dos participantes e como eles podem ser redesenhados para obter melhores resultados no futuro.